Oranssi Pazuzu lança a hipnótica e agressiva Hypnotisoitu Viharukous

800px-oranssi_pazuzu_-_fme_2012
Grupo finlandês faz uso de sintetizadores para ambientar o som (Foto: Cecil/Wikimedia)

O Oranssi Pazuzu deu continuidade à sua mistura de elementos na nova faixa Hypnotisoitu Viharukous, lançada nesta terça-feira (12). Unindo o vocal gutural do Black Metal, o fuzz do stoner rock e os sintetizadores da música ambiente, o grupo criou uma faixa perturbadora e única.

Continue Lendo “Oranssi Pazuzu lança a hipnótica e agressiva Hypnotisoitu Viharukous”

Bowie, o profeta da própria morte

David_Bowie_1976[1]
Bowie, em 75:  40 aos depois,  sonoridade experimental caracteriza último disco (Foto: Jean-Luc Ourlin)
No dia 10 de janeiro Bowie faleceu. No dia oito, se despediu. Blackstar é a conclusão do legado deixado pelo Camaleão, que se metamorfoseou pela última vez na forma de jazz, acompanhado por um experiente quarteto. O álbum foi lançado dois dias antes do falecimento do cantor, mas parece fazer ainda mais sentido agora que ele se foi.

A swan song (algo equivalente a “último suspiro”) de Bowie está repleta de simbolismos envolvendo a passagem para outra vida. Começa pelo nome do álbum: Blackstar, estilizado , se refere à estrela negra comum nas lápides para marcar o nascimento – indicando que sim, ele está vivo, através da arte.

Continue Lendo “Bowie, o profeta da própria morte”